A consumação na obra da Cruz

A consumação na obra da Cruz

Na noite de domingo, dia 13 de Janeiro, celebramos nosso segundo culto do ano, e a noite tornou-se ainda mais especial por entregarmos a Deus o nosso projeto missionário; que iniciou-se segunda-feira, dia 14 e procederá até sábado, dia 19. Todos juntos oramos e intercedemos pelos nossos irmãos, entregando toda a realização desse projeto nas mãos do nosso Deus, gratos pela bênção de ir, gratos pelas bênçãos que lá serão alcançadas. Que juntos, como Igreja possamos continuar orando por este Projeto Missionário de Férias.

Após a celebração da Ceia, nossa mensagem foi trazida pelo Pastor Paulo, que usou por referência o livro de João 19, versículos 28, 29 e 30, com o tema: A consumação na Obra da Cruz.

“Jesus sabia que tudo já estava terminado e para cumprir as escrituras disse: ‘Estou com sede’. Havia ali uma jarra de vinho azedo, de modo que ensoparam uma esponja nele, puseram num caniço e suspenderam até os lábios de Jesus.
Tendo Jesus provado, disse: ‘Está tudo consumado’; então inclinou a cabeça e entregou o espírito”.

Uma das primeiras coisas que o Pastor Paulo destacou desse texto é a evidente Humanidade de Jesus Cristo; Jesus era Humano, ele sentia as necessidades que qualquer ser humano sente, sentiu dores, aflições e sentiu sede. Ele demonstra sua humanidade em diversas fases, como quando disse que estava com sede após todo o momento de dor e sofrimento, algo que se compara a mesma sede torturante que os soldados sentem ao fim de uma guerra.

O sacrifício de do nosso Senhor foi completo e perfeito; o que foi completado na Cruz foi a consumação dos nossos pecados, é por isso que quando estamos debaixo da Cruz, próximo aos pés do Senhor, somos justificados em Cristo, somos perdoados e por isso não há mais condenação sobre as nossas vidas.

“Visto que nós, os filhos, somos seres humanos, feitos de carne e sangue, Ele se tornou carne e sangue também pelo nascimento em forma humana; pois somente como ser humano ele poderia morrer, e morrendo derrotar o poder do diabo, que tinha o poder da morte. Só dessa maneira é que Ele poderia libertar aqueles que durante a vida toda estiveram escravizados pelo medo da morte”. Hebreus 2. 14 e 15

A nossa salvação veio pelo intermédio da Obra de Cristo na Cruz; havia necessidade de Cristo passar por todas as dores e sofrimentos, mas não uma necessidade Dele, e sim nossa; porque jamais poderíamos pagar os nossos pecados Diante de Deus. O Senhor sentiu como homem as mesmas dores que nós sentimos, para que assim Ele pudesse interceder por nós, assim como fez ali na Cruz enquanto sofria, para que Deus nos perdoasse porque não sabíamos o que fazíamos. O que nos mostra a todo momento que Deus cuida de nós.

E esta salvação só é alcançada quando entregamos nossa vida a Jesus Cristo, reconhecendo que estamos longe de Deus e que o único meio de alcançarmos reconciliação com Ele é por intermédio de Cristo.

Assim estaremos ligados a Cristo, que é o Cabeça da Igreja, corriqueiramente ligados à Igreja, para que assim possamos seguir o Exemplo de Cristo, intercedendo uns pelos outros.

Para completar a noite maravilhosa, no final do culto as irmãs Fernanda Santos Vieira e Karla Gislayne Tranquilino dos Santos voltaram aos caminhos do Senhor, e houve festa no céu.

Texto de Sara Natalia

Quer ser abençoado através desta mensagem? Ouça a seguir, faça seu comentário e compartilhe!

avatar
  Inscreva-se  
Notificar a