antarvasna hindi

A cruz da direita

A cruz da direita

Neste domingo, dia 18 de Agosto, a pregação dada pelo nosso Pastor Evandi, nos remete um momento de suma importância na vida de Jesus, o momento da crucificação. Para acompanharmos todos os acontecimentos,  até o momento onde Jesus se encontra crucificando entre os dois ladrões; lemos Lucas 23. dos versículos 26 ao 43; durante alguns pontos, o pastor destacou alguns fatos que devemos nos atentar, como por exemplo, porque Jesus Cristo foi crucificando, e  postado entre os dois ladrões?

Jesus está crucificando no meio não por ser considerado melhor que os outros dois, ou por ser reconhecido como rei, como senhor, ou como qualquer outra condição de destaque, mas por ser pela vista de todos que o condenaram como o pior criminoso.

Pois embora estivessem todos pertos de Jesus, acompanhando seus ensinamentos e seus milagres, nem seus olhos tão pouco seus corações se abriram para Ele, acompanhavam Jesus, mas não estavam nele, não havia temor.

Da mesma forma acontece com o ladrão da cruz da esquerda, ele não tinha temor ao Senhor, e nisso, perdeu a sua última oportunidade de ser salvo, pois ali, naquele calvário ao seu lado, estavam o amor e a bondade, mas ele não há reconheceu, ao contrário do ladrão da cruz da direita. Mas ao mesmo que diferenciamos, também é preciso ver os pontos que igualaram esses dois ladrões, e como as palavras trocadas entre eles mesmos, e as palavras ditas por Jesus nos ensinam grandes coisas.

Em Mateus 27.44 é escrito que ambos os ladrões disseram coisas terríveis ao Senhor, porque naquele momento ambos se encontravam no mesmo estado, em momentos de zombaria e palavras cruéis ambos acompanhavam os soldados com xingamentos e malditos direcionados a Cristo, mas as palavras ditas por Jesus em seus momentos de dor e sacrifício naquela cruz, o seu testemunho fizeram com que os olhos e o coração do ladrão da direita se abrissem para ele, e ele pode não apenas ver, mas entender e aceitar a Cristo, reconhecendo como salvador. Aquele ladrão, não tinha valor para nenhum outro ali presente, seus crimes eram comparados aos de Barrábas, ele matou, roubou e estava sendo condenado por seus atos, não tinha importância para mais ninguém, não tinha mais o que fazer, há não ser morrer, mas naquele momento, em suas últimas horas ele teve valor para Cristo. Seus olhos e seus ouvidos abriram-se para Jesus Cristo trazendo esperança.

O Deus a qual servimos, O Cristo no qual cremos nos traz esperança!

Assim, podemos nos indagar: Qual a diferença do crente, para o não crente?

A diferença é o ‘estado’ de salvo, pois a natureza humana é a mesma!

Basta entendermos que não VIVEMOS nas práticas do pecado, mas PECAMOS. Não vivemos no pecado, o praticando, mas pecamos; é a nossa natureza humana. Se dissermos que não pecamos, insultamos a Deus como mentiroso. Os nossos próprios processos mentais são atingidos pelo pecado, o nosso mal está dentro de nós mesmo, e tudo isso é fruto do pecado. Na verdade, nos basta conhecer a Cristo, viver pelo seu Espírito para que constantemente Ele nos limpe dos nossos pecados, quando o reconhecemos e pedimos perdão por eles.

Podemos agir como o ladrão da direita, mas muitas vezes realmente agimos como o ladrão da esquerda. Não abrimos os nossos olhos, ouvidos, nem o coração para Jesus; esperamos e esperamos pelos milagres, pelas boas ações, vamos a Igreja acompanhando a Cristo, mas não estamos nele, não o reconhecemos como Salvador e Rei das nossas vidas.

Para entendermos como agiu os dois ladrões, o Pastor Evandi nos condiciona a 4 coisas que foram ditas e feitas por ele, para que compreendamos e distingamos ambos.

O ladrão da cruz da esquerda:

1º – Estava enganado com Jesus.

Quando diz que se Jesus for mesmo rei, salve a si mesmo…

Se Jesus salvasse a si mesmo, não nos salvaria.

2º – Espera mais um milagre

Jesus Cristo não precisava fazer mais nenhum milagre. As vezes é apenas o que nós mesmo queremos ver, um outro milagre, uma outra benção, outra cura, mas não os sofrimentos.

3º – A verdade dita: Salvou ao outros.

O próprio ladrão ao falar, não sabe a profundidade que suas palavras possuíram. Jesus nos salvou, veio para nos salvar, a cruz foi o preço dos nossos pecados.

4º – Pensou que Jesus era um impostor

Não sabia quem de fato era Jesus, e nem nos últimos instantes ao seu lado o reconheceu, achou assim como muitos outros que ele não era o Filho de Deus, e que precisava sim, realizar mais um milagre, um outro sinal para que isso fosse provado.         

O ladrão da cruz da direita:

Temeu a Deus;

Reconheceu o seu pecado;

Reconheceu que Jesus é Santo;

Reconheceu que Jesus é Salvador e Reis.         

 Ao ladrão da cruz da direita, não deve ter sido fácil acreditar que realmente fora salvo, após tudo o que fez. Mas as palavras de Jesus, ditas enquanto estava ao lado dele na cruz foram o suficiente para trazer paz ao coração daquele homem, fazê-lo abrir os olhos, enxergar a Cristo e lhe entregar seu coração.

Não seja você a perder essa chance, Jesus garantiu ao ladrão da direita a Vida Eterna. Pode fazer o mesmo por você…

Para completar a noite maravilhosa, no final do culto os irmãos Maria Zélia Romão da Silva, Amanda Mendes dos Santos e Eronides Manoel dos Santos aceitaram a Cristo como único salvador, e houve festa no céu.

Texto de Sara Natália

Quer ser abençoado através desta mensagem? Ouça a seguir, faça seu comentário e compartilhe!

avatar
  Inscreva-se  
Notificar a