antarvasna hindi

A Igreja Sou Eu

A Igreja Sou Eu

 

No domingo, dia 17 de novembro de 2019, comemoramos mais um aniversário do Ministério de Louvor da Primeira Igreja Batista em Tibiri ll. Entusiasmados e alegres, começamos a noite entoando louvores de gratidão ao nosso Deus por todos os Seus feitos no Ministério e através do Ministério.

A Igreja Sou Eu, esse foi o tema escolhido para refletirmos em mais um aniversário, que nos remete, como igreja do Senhor, de reconhecermos nossa função e de que só exerceremos nosso papel em plenitude quando admitirmos que somos amados por Cristo.

Através do louvor, nossos corações elevaram-se à presença de alegria e de paz diante de Deus, sendo canal pelo qual Ele atuou naquela noite tão especial. Um meio no qual reafirmamos a nossa aliança de filhos amados, porque Deus habita no meio dos louvores do seu povo.

“Tu, porém, és o Santo, és rei, és o louvor de Israel.” Salmos 22:3

Com a participação do Coro Manancial e Quarteto, logo após o momento missionário, vimos que louvar a Deus pode nos levar ao mais profundo e ousado amor, nos fazendo voltar ao primeiro amor e a primeira essência.

Nessa noite tão especial de celebração pelos 19 anos do Ministério de Louvor da nossa igreja, tivemos a honra de receber o irmão Aécio Lima Jr. da Igreja Batistinha, em João Pessoa.

Ao ler Apocalipse 2:1-4, uma carta à Igreja de Éfeso, na qual Jesus reconhece as obras daquela igreja tão influente e seu trabalho árduo, também reconhece que a igreja de Éfeso estava perseverando e suportando sofrimentos em nome de Cristo e não tinha desfalecido por isso, o irmão Aécio nos fez refletir sobre todas aquelas obras da Igreja e sobre sua grande influência, mas que, todavia, havia apenas um problema com aquela Igreja que a fazia falha:

“Contra você, porém, tenho isto: você abandonou o seu primeiro amor.” Apocalipse 2:4

O livro As 5 linguagens do amor, é um livro do pastor batista Gary Chapman, que vem tratar sobre 5 formas de como as pessoas sentem-se amadas por outras.

Paralelamente, assim como no livro do pastor Gary Chapman em que precisamos entender a linguagem do amor de alguma pessoa para ela sentir-se amada por nós, o irmão Aécio Lima Jr nos fez pensar que se nós não entendermos a linguagem do amor de Deus, não seremos capazes de entender quando Deus se sente amados por nós, assim, estaremos iguais a igreja de Éfeso, estaremos perseverando, trabalhando árduo, mas faltará o mais importante: Faltará o 1º amor.

“Nós amamos porque ele nos amou primeiro.” 1 João 4:19

Entender o 1º amor é entender que Ele nos amou primeiro ainda quando estávamos manchados pelo pecado. Se não compreendermos que somos amados, que Cristo nos amou primeiro, de nada valerá o que fizermos. Porque trabalho sem amor cansa, ministério sem amor cansa. Deus se sente amado por nós quando entendemos que somos amados por Ele! Essa é a linguagem do amor do nosso Criador. Vivemos baseando a nossa vida no nosso amor por Cristo e não no amor Dele por nós, que ao contrário do nosso amor falho e limitado, é perfeito e infinito.

Irmãos, não adianta balbuciarmos palavras de amor se não entendermos o Amor. Precisamos desfrutar do que Ele já fez e não do que nós fazemos. A vitória da igreja é essa: SOMOS AMADOS POR DEUS! Quando entendermos o Seu amor por nós, não vivemos querendo impressionar a Deus, vivemos impressionados pelo Seu amor!

Quando entendemos que somos amados apesar dos dias maus, estamos declarando que amamos a Deus e assim, Ele se sentirá amado por nós. A doutrina da expressão exata de Deus é estabelecida em apenas quatro letras: AMOR! Esse amor nos torna aptos para amar.

“Um novo mandamento lhes dou: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros. Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros”. João 13:34-35

Não é a qualidade do que fazemos, mas a qualidade do nosso amor pelo mundo. É uma cadeia sem fim graças ao amor infinito do Senhor Jesus. O padrão de amor de Jesus não é utopia. Diante do tamanho perdão e do tamanho amor de Deus por nós, não há mais desculpas para não perdoamos e amarmos uns aos outros. Às vezes não perdoamos porque não sabemos o quanto somos perdoados. Às vezes não amamos porque não sabemos o quanto somos amados. Precisamos sair dessa zona de meritocracia e entender que Deus já fez, que Jesus é suficiente, que somos verdadeiramente amados por Cristo, somente assim, falaremos a linguagem do amor de Deus.

Texto de Maria Alice e Eduarda Cruz

Faça seu comentário e compartilhe!

Clique para visualizar as Fotos

avatar
  Inscreva-se  
Notificar a