Recital Música pra você

Recital Música pra você

Recital Música pra você

No último sábado do mês de Julho (28/07/2018), abrilhantamos nosso culto com o recital de encerramento do curso de música ‘Aprecie e Realize’.

Contamos com a participação especial do grupo ‘Quinteto de metais’, que foram convidados para a abertura das apresentações, tocando as músicas: Halleluia, Grandioso és tu e Primeiro Olhar. Foram apresentações belíssimas!

Em seguida, tivemos a apresentação da Professora Aisley Mirella, com uma das músicas mais referenciadas da MPB, Eu sei que vou te amar (Tom Jobim) e Como é grande o meu amor por você (Roberto Carlos). Uma apresentação emocionante!

Dando continuidade as apresentações, cada uma das classes do curso se apresentaram individualmente, com seus respectivos professores. Começando pela Classe de Trumpet, com o Prof. Ramon Diego, tocando a 9º Sinfonia de Beethoven.

Em seguida, pela Classe de Violão com o Prof. Ramos Nascimento, onde cada aluno acompanhando pelo professor tocou uma música, começando por Quão Grande é o Meu Deus (Soraya Moraes), A ele a Glória (Diante do Trono), e por fim, Deus me ama (Diante do Trono).

A terceira e última apresentação, foi da Classe de Violino, com a Professora Aísley Mirella. Tocando uma Cantiga Popular Cai, cai Balão. E encerrando as apresentações tocaram a 9º Sinfonia de Beethoven.

Foram apresentações encantadoras, onde pudemos prestigiar os nossos irmãos exercendo seus talentos e aprendizados. Foi com muita alegria que assistimos cada uma das apresentações, em sua simplicidade e beleza. Parabenizamos cada um dos alunos e professores. Que Deus em sua infinita graça, continue abençoando vocês!

Dando continuidade ao culto, tivemos uma palestra com o Ir. George Oliveira, membro e professor da IPBE (Igreja Presbiteriana do Bairro dos Estados), formando em música pela UFBP e atualmente, faz parte da DNA (Disciple Nations Alliance – Aliança das Nações Discípulas).

O Cristão e as Artes Contemporâneas
Tema da palestra

Em momentos iniciais da palestra, George trouxe diversos pontos característicos do mundo contemporâneo, as diversidades culturais e a teoria do *relativismo e da *cosmovisão. Destacando pontos positivos e negativos, e como o cristão deve se comportar nesses meios em que se vive. Para desenvolver de forma centrada sua palestra, esclareceremos o que se refere a *cosmovisão e o relativismo.

*Cosmovisão: Maneira subjetiva de ver e entender o mundo – Sua visão de mundo.

*Relativismo: Conceito de que os pontos de vistas não têm uma verdade absoluta ou validade intrínseca, e sim apenas um valor relativo de acordo com diferenças na percepção.

Para nós cristãos, estes conceitos devem ser extintos. Pois para nós, existe sim uma verdade absoluta, e está verdade encontra-se nas Escrituras. Devemos lembrar sempre que não importa em qual Era, época estamos, ou os conceitos que o mundo prega, precisamos manter firme a nossa essência, nossos princípios bíblicos baseados no que Deus ensina de geração em geração. Precisamos definir entre o certo e o errado. Claro que não devemos ser anacrônicos, ou hipócritas, mas o que destacamos é que precisamos lembrar qual é o nosso dever em meio ao mundo de caos em que vivemos. É saber que Deus nos mostra princípios, mesmo que tudo seja permitido, nem tudo convém fazer.

Não podemos ter uma visão de mundo secular, e sim uma visão de mundo a luz da bíblia, em suma maioria a cosmovisão e o relativismo fogem da realidade, e a bíblia sempre apresentará o que é real e verdadeiro. Precisamos pregar a verdade absoluta, e não a relativização da verdade.

E se há duvidas no que se refere as “artes contemporâneas”, muito bem citado o palestrante trouxe diversos exemplos de músicas que hoje fazem sucesso absoluto, e não nos edifica. São músicas que em seu contexto se bem analisados, transmitem indiferença aos conceitos bíblicos. E podemos ver nisso também em certos “hinos”, que falam sobre individualismo, inveja, outros que engrandecem a glória do homem, e não de Deus, entre diversas outras características.

E para nós Cristãos, o dever é fazer o contrário de tudo isso. Fomos chamados para brilhar fora da igreja, para nos expressar e mostrar ao mundo que somos servos de Deus. Dando destaque aos músicos, vocês podem discipular uma nação, aquilo que cantam ou tocam tem o poder de penetrar nas pessoas, edifica-las ou corrompe-las. Mas, lembrem-se ‘Os músicos excelentes tocam para Deus’.

MOMENTOS DO RECITAL

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificar a