O rei Manassés alcançado pela Misericórdia de Deus

O rei Manassés alcançado pela Misericórdia de Deus

Refletimos sobre este tema na noite de Domingo, dia 24 de março. A mensagem trazida pelo Pastor Evandi Monteiro teve por base 2º Crônicas 33. 1 ao 13.

Ao tema da mensagem, destacamos os versículos 12 e 13:

“Cheio de pavor e aflito, Manassés se humilhou Diante do Deus dos seus antepassados pedindo socorro. E quando ele orou, o Senhor ouviu, teve misericórdia dele e respondeu ao seu pedido, levando-o de volta a Jerusalém e a seu reino! Então Manassés reconheceu finalmente que o Senhor era realmente Deus”.

Antes de chegar a este momento de humilhação e misericórdia, Manassés passou 55 anos de seu reinado, ultrajando as Leis de Deus, fazendo coisas que eram desagradáveis aos olhos do Senhor, levantando altares a outros deuses, praticou feitiçaria, adivinhações e dentre coisas tão ruins, ofereceu em sacrifico seus próprios filhos aos deuses. Manassés reinou durante todos esses anos, praticando tudo quanto lhe podia ser feito, foi um rei perverso, e dentre tudo, estimulou também o seu povo a praticar o mal, sua nação fez coisas piores do que qualquer outra que de Jerusalém já haviam sido expulsas.

Mesmo que venha a nossa memória que o rei Manassés foi totalmente diferente do seu pai o rei Ezequias, precisamos atentar para um ponto especifico que o Pastor Evandi nos trouxe: “A piedade dos pais não é garantia para que os seus filhos sigam o mesmo caminho”. Manassés construiu altares para outros deuses, sobre altares que outrora seu pai havia destruído. De tantos exemplos que tinha na sua família, Manassés obteve em sua vida um vácuo causado pelo mal, que lhe atribui manifestações de maldade e pecados.

Mas… Deus fala ao seu povo. E quando aquela nação – nem seu rei – ouviu a voz do Senhor, o próprio rei que tanto fez, precisou sentir na pele a correção Divina. Deus concedeu a Manassés a sua última chance, uma oportunidade a mais, e foi em um momento de desespero e agonia que Manassés se lembrou de Deus.

Deus enviou exércitos da Síria, e eles prenderam Manassés com ganchos, o amarram com correntes de bronze e o levaram arrastado até a Babilônia, e lá, humilhado e aflito orou ao Senhor pedindo socorro, o Senhor o ouviu e dele teve misericórdia.

É importante atentar para algo bastante explicito, mas que muitas vezes, escapam aos nossos olhos, quando analisamos o versículo 12, podemos ler e ver que lá está escrito “Manassés se humilhou Diante do Deus dos seus antepassados”, e só depois, quando Deus apresenta a ele sua misericórdia, atendendo ao seu pedido, o levando de volta a Jerusalém e ao seu povo, é que lemos: “Manassés reconheceu finalmente que o Senhor era realmente Deus”. Isto é algo fantástico irmãos, não podemos perder estes detalhes, se lermos com atenção, perceberemos maravilhas ainda maiores que Deus fez na vida daquele homem. Pensem se por algum momento, Manassés não se perguntou se Deus realmente existia? Ou se depois de tudo o que ele havia feito se Deus o iria responder? Quando Manassés reconhece que Deus é Deus, e seu único Senhor, ele reconhece que o pecado nos leva muito mais longe do que pensamos, e ainda mais, reconhece o quanto Deus pode verdadeiramente amar.

E com esse exemplo da vida deste rei perverso, vemos o quanto a Graça de Deus é maior que o pecado, e como ela nos alcança de forma tão imerecida. Deus é um Deus de amor, um Deus que restaura… restaurou a vida de Manassés, o levando de volta para Jerusalém para que ele pudesse consertar suas atitudes, e assim ele fez. Reconstruiu os altares do Senhor, destruindo os que ele havia feito a outros deuses, despedaçou tudo o que havia feito, jogando para fora da cidade. Isso acontece porque quando nos voltamos para trabalhar no Reino de Deus, e o reconhecemos como nosso Senhor, o Espírito Santo limpa as nossas vidas, elas são transformadas! Assim como foi a de Manassés, foi também a nossa.

Isso aconteceu há tantos anos atrás, mas ainda hoje existem pessoas que jogam fora oportunidades que Deus dá, fecham os olhos para o que Deus mostra e tampa os ouvidos para não ouvi-lo. E ainda assim, Deus consegue verdadeiramente nos amar e a sua misericórdia nos alcança dia após dia. Ouçam a voz de Deus, prontifiquem-se para Ele, sirva ao Senhor com suas próprias mãos, pela capacidade que Ele mesmo vos dá, e assim, inspire outras pessoas a fazer o mesmo.

Texto de Sara Natália

avatar
  Inscreva-se  
Notificar a