Um jovem sem identificação

Um jovem sem identificação

No primeiro domingo de fevereiro tivemos uma pregação abençoada, realizada pelo nosso pastor Evandi Monteiro, que nos levou a refletir sobre o tema: 

Um jovem sem identificação

Trazendo por base Marcos 14.51-52

“Havia um jovem que estava seguindo a Jesus, vestindo apenas um lençol de linho. Quando a multidão tentou agarrá-lo, ele escapou nu, deixando seu lençol para trás.”

Essa passagem nos conta a historia de um jovem que saiu de sua casa – ao que se pode imaginar pela madrugada – para ir atrás de uma multidão, sem saber exatamente o que se passava, ou seja, estava passivo de qualquer coisa. Ele ouviu uma confusão, uma agitação em meio a multidão e a seguiu; seja pela curiosidade ou pela pressa, saiu de casa da mesma forma que havia acordado, coberto apenas por um lençol de linho. Logo mais, próximo ao Getsêmani na agitação e conturbação em meio a prisão de Cristo, tentaram agarrá-lo pelas “vestes” puxando seu lençol e o deixando nu.

Olhando para esse texto, podemos tirar quatro lições muito importantes para nossa vida, ás representações em cada personalidade que a metáfora das pessoas vestidas com o lençol pode nos trazer. As pessoas que se vestem com o lençol são:

1° A representação de quem “segue” a Cristo sem compromisso.

Muitos dizem ser Cristão, porém, nem se quer tentam obedecer ás leis que Deus deixou para o seu povo;  muitos estão ali no meio da multidão e não fazem ideia do que está acontecendo, estão perdidos, sem identificação. Porque multidões não tem idade, não tem aliança nem compromisso com Deus; Portanto lembrem-se ‘Deus não sonda multidão, tão pouco se impressiona com ela. Mas sonda corações’.

A demonstração de quem vive superficialmente, de forma rasa.  

“Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha.”. – Mateus 7. 24 e 25

As pessoas rasas e superficiais são como essas casas construídas apenas na areia, que não tem estrutura firme que a permita ficar de pé, são pessoas que se perdem em ideologias, falsos testemunhos, se perdem pelo pecado e pela falta de compromisso com Cristo. 

3° A representação de pessoas pragmáticas

Muitos pensam que podem calcular até onde irão pecar, ou quando irá pecar e até mesmo imaginam o tamanho do desastre que será feito, mas na verdade não conseguimos parar de pecar, não temos capacidade de nos estruturar para as nossas consequências, quando vemos já estamos fazendo algo muito pior, muito além do que imaginamos, porque de forma alguma sabemos a extensão do nosso pecado. E assim, muito de nós também não se preocupam com o que precisam fazer, apenas com a vantagem que irá levar sobre aquilo que faz. Porém, para Deus tudo importa!

4º A demonstração daqueles que não podem defender-se  

Assim como naquele momento o lençol escondeu superficialmente o rapaz, nos momentos de hoje, muitos se escondem com máscaras, tentando encobrir seus erros, ou pensamentos; E assim como aconteceu aquele rapaz, as máscaras de hoje não são sustentadas por muito tempo, ela nos esconde superficialmente.

Haverá sempre uma multidão para apontar nossos defeitos, a todo instante terá pessoas olhando o nosso testemunho, não podemos nos encobrir com máscaras ou lenços, mas devemos no expor de peito aberto, revestidos com a armadura de Deus, para que sejamos discípulos de verdade, lembrando sempre que Deus nos guarda e nos protege quando verdadeiramente nos colocamos diante Dele, reconhecendo nossos erros, pedindo perdão pelos nossos pecados e misericórdia sobre as nossas vidas.

Por fim, pergunto a você:

Como você tem andado? Com uma roupa adequada ou apenas um lençol? Qual dessas representações ou demonstrações fazem parte da sua vida?

Que possamos refletir na palavra do senhor.

Para completar a noite maravilhosa, no final do culto os irmãos Joceane Barbosa da Silva, Francisco das Chargas de Sousa, Jhon Ewerton Tavares do Nascimento e Iris Thayla do Nascimento Pontes aceitaram a Cristo como único salvador, e houve festa no céu.


A noite do dia 03/02/19 também ficará marcada no coração de toda Igreja porque ainda tivemos a apresentação de Ana Luiza De Andrade Barbosa, filho(a) de Sérgio Barbosa Da Silva e Sandra Simone De Andrade Borges Barbosa. (A Bíblia não nos orienta a batizar crianças nas águas, por isso apresentamos em oração toda a família em forma de consagração e gratidão a Deus. Pois assim nos orienta as escrituras sagradas. Lucas 2.22).

Texto de Eduarda Cruz

Quer ser abençoado através desta mensagem? Ouça a seguir, faça seu comentário e compartilhe!

avatar
  Inscreva-se  
Notificar a