antarvasna hindi

Uma decisão de coragem

Uma decisão de coragem

No primeiro domingo de Agosto, dávamos continuidade á abertura do Mês Jovem. Com muita alegria que realizamos durante o mês de Agosto atividades para os jovens e adolescentes da nossa Igreja, com uma programação toda voltada para a nossa Juventude. Desde quinta feira, nos reunimos para comunhão, oração, momentos de louvor e adoração, e momentos para compartilhamos experiências e ensinamentos.

Claro que no domingo não seria diferente, estávamos reunidos não apenas com nossa Juventude, mas com toda a Igreja. 

Demos inicio ao culto com o preludio realizado pelos Jovens que fazem parte do Ministério de Louvor da nossa Igreja. O culto foi dirigido pela nossa Ir. Karlinha, e juntos ao inicio do culto lemos Atos 23.  

Também esteve conosco nesse domingo, o grupo Gideões, representando pelo Ir. Célio Rufino, que nos falou sobre o trabalho ministerial realizado pelos Gideões não apenas em nossa cidade ou país, mas no mundo todo. Ele nos contou sobre como começou, como é idealizado, e sobre os participantes; também nos fala sobre como podemos contribuir para que este trabalho continue se desenvolvendo e se multiplicando, e as distribuições de bíblias cresçam ainda mais, em todas as regiões e lugares do mundo. Contribuímos com as nossas orações, com a participação de outros membros para os Gideões, independente de qual denominação de Igreja pertença, e também com as nossas ofertas. Os Gideões, como tão bem nosso Ir. Célio colocou, são braços missionários estendidos da Igreja, leva a palavra em todos os locais que a Igreja não pode ir.

Dando continuidade ao culto, apreciamos a apresentação da nossa Juventude, em um coral, cantaram ‘Da vida, o Melhor’, uma bela melodia que representa não apenas o tema escolhido para o Mês Jovem, mas uma canção de vida. Que transmite em nós ao cantarmos e sentirmos, que não há nada melhor para as nossas vidas do que entregarmos ela a Deus, e vemos que Ele é o melhor que nós temos. Cantarmos não apenas como a apresentação jovem, mas como o reconhecimento que nos movemos para Ele, existimos Nele e por Ele vivemos. Que em nossa Juventude e por toda a vida, nos alegraremos Nele, aprenderemos, teremos nele o nosso Paraíso, que Ele é a nossa Força, Paz, a nossa Luz, o melhor que Temos, e apenas a Ele entregamos nossas vidas.

Dando continuidade ao culto, a Mensagem foi ministrada pelo nosso Pastor Evandi, que trouxe como estudo, a vida de Ester e todos os acontecimentos que fizeram dela uma Jovem de exemplo.

“Uma decisão de coragem” . Ester 4. 7 ao 17

Antes de destacar todos os pontos que fizeram Ester tomar decisões corajosas, o Pastor nos relata como era a vida naqueles dias; o reinado de Assuero, suas riquezas e reconhecimento para o povo, toda a sua importância e soberania.

Para chegarmos até o momento em Ester se torna rainha, precisamos saber o que se antecede a outra rainha. Assuero tinha por esposa uma rainha chamada Vastir, em certo momento, ambos deram festas em seus reinos, com convidados de alta importância, ao decorrer dos dias de festas, o rei Assuero pede para que Vastir venha até a sua presença para conhecer seus convidados e participar daquele momento com ele, a rainha Vastir nega o pedido do rei, e se recusa a comparecer em sua presença. Claro que este ato atrairia consequências, visto pela parte dos conselheiros do rei, foi uma atitude insolente da rainha de respeito, e falta de obediência para com o seu rei, destacando que se a própria rainha agia assim na presença do próprio rei, como as mulheres em suas casas reagiram aos seus maridos quando soubessem do que houve entre o rei Assuero e a rainha Vastir? Sendo assim, por conselho de Memucã, foi assinado um decreto pelo rei de que nenhuma outra rainha poderia ir até a sua presença se não fosse chamada pelo próprio rei, de igual modo Vastir foi posposta da sua coroa, e aconselhado ao rei encontrar uma rainha melhor que ela.

Com este decreto, foi proposto para que as jovens mais belas e virgens do reino fossem até o palácio para se apresentarem ao rei, lá passaram por vários embelezamentos no período de um ano. Ester era muito bem tratada pelo responsável pelo harém, ele a colocou nos melhores dos quartos, deu a ela 7 das virgens para servi-la, e até mesmo a sua alimentação era especial, fazendo o possível para que ela se sentisse feliz. E assim Ester foi tratada até o momento para se apresentar ao rei, ela seguiu o conselho de Hegai, o responsável pelo harém, e o rei gostou de Ester mais do que qualquer outra jovem; ela conquistou a sua simpatia e sua admiração, então, ele pôs a coroa real na cabeça dela e a declarou rainha no lugar de Vastir.

Quando lemos o livro de Ester, e vemos toda a sua história precisamos ter em mente que Deus fez planos para salvar toda a humanidade, os judeus relatados no livro de Ester perpassaram por este plano, se não fosse por isto, todos os judeus estariam mortos.

Deus tem um plano para cada um de nós, e em comunhão com Ele que realizamos cada um desses planos, é por este motivo, para a realização de seus planos que Deus nos coloca em lugares distintos, os quais muitas vezes nem esperamos estar, Ele nos coloca em lugares chaves das nossas vidas, ou até em nas vidas de outras pessoas para que aprendamos a lidar com certas situações em nossas vidas; encaminha-nos para lugares certos para que não sejamos apenas abençoados, mas também para abençoarmos. Exatamente assim como acontece com a vida de Ester, e pensado sobre todos estes pontos que entendemos a importância de tudo o que aconteceu na vida de Ester, o que a levou a tomar decisões corajosas e estar pronta para servir, e porque sua coragem salvou todo o seu povo.           

Outro ponto destacado na vida dessa Jovem é as suas qualidades e a sua comunhão com Deus. Todas as pessoas que tem comunhão com Deus precisam reconhecer as qualificações que Deus concede, Ester reconheceu as suas, e tinha qualidades que a destacavam, além de sua beleza.

.Autoestima            .Sensata        .Agradável      .Sábia       .Humilde

Ester era segura, destacava-se também por sua segurança, sabedoria e atitudes. Não se lamentava ou questionava, mas mantinham-se sorridente e amigável com todos; a falta de auto estima nas vidas das pessoas, transcreve ingratidão, as pessoas começam a usar a vida como culpa, sua condição como insultos. Ester era grata, pelas coisas que tinha, mesmo tendo passado por tantos sofrimentos. Ás vezes temos tudo e vivemos de forma miserável, sem merecer o que temos, porque não sabemos dar valor. Ester valorizava sua vida, e tudo o que tinha, até mesmo as pessoas que conviviam com ela, mesmo que eles fossem apenas seus “serviçais”.

Ester mesmo quando se tornou rainha, continuou com seu autocontrole, sua posição não lhe subiu a cabeça, era uma mulher sábia, sem arrogância, mas com humildade, não esqueceu suas origens ou a responsabilidade que tinha para com os seus. Não esqueceu também das coisas que Deus fez, nem das pessoas que ele usou para ajuda-la; a sabedoria de Ester, lhe concedida por Deus a ajudou a viver bons e maus momentos, o Espirito Santo nos alcança e nos ilumina, por isso somos bem aventurados, por termos nossa mente iluminada por Deus. Dentre tantas qualidades de Ester, vemos o quanto elas são importantes em nosso viver, vivemos em um ambiente de integração e em certas situações, principalmente quando nos encontramos em posições de autoridade precisamos saber lidar com todos ao nosso redor. Ester foi humilde, sensata e agradável com todos os seus.

Destacam-se todas essas qualidades de Ester, para entendermos o que acontece… Em um determinado tempo, um inimigo dos judeus, chamado Hamã que trabalhava diretamente com o rei, em muita conversa, conseguiu escrever um decreto com o selo real do rei, o qual decretava que todos os judeus deveriam ser mortos e enforcados. Hamã mandou construir uma enorme forca, a vista de todos para executar todos os judeus, com data marcada, no calendário da província onde todos poderiam ver. Até então,  o rei não sabia que a verdadeira naturalidade de Ester era que ela era judia, tão pouco do decreto feito por Hamã.

Mordecai, considerado Tio de Ester, quem a havia criado e deu-lhe apoio para ir ao palácio, também buscava sempre saber sobre ela quando passava pelos portões dos jardins dos palácios, o mesmo quando soube do decreto para a execução dos judeus, foi atrás de Ester, pedindo para que ela intercedesse por seu povo, para que suas vidas fossem poupadas. Eles conversaram com perguntas e respostas trazidas por um servo de confiança de Ester, a mesma manda falar para Mordecai que o rei não a procurava havia muitos dias, e que não poderia ir até a sua presença sem ser chamada, pois morreria, há não ser que o rei lhe estendesse seu cetro em misericórdia. Mordecai insiste e pede para que o servo diga a Ester: “Você pensa que pode escapar porque mora no palácio, quando todos os outros judeus forem mortos? Se você ficar calada em uma situação como esta, o socorro e o livramento virão de outra parte para os judeus, mas você e os parentes de seus pais morrerão. Quem sabem se não foi para uma ocasião como esta que você foi escolhida como rainha?”.

Ao ouvir tais palavras de Mordecai, Ester pede para que ele volte e reúna todos os judeus de Susã, para que junto com ela e suas criadas jejuassem e orassem por 3 dias e 3 noites, e passando-se esses 3 dias, ela iria até a presença do rei, mesmo que fosse contra lei.

E assim aconteceu, Ester foi até a presença do rei e este lhe estendeu seu cetro, e ainda mais, perguntou-lhe o que ela queria, pois mesmo que fosse metade de seu reino ele lhe concederia. Em sua humildade e sabedoria, Ester pede para que o rei compareça a um banquete que ela lhe prepararia, e levasse junto Hamã. E assim foi feito, por duas vezes Ester fez o mesmo pedido, e no segundo banquete, contou ao rei sua origem e sobre o decreto. Sucedeu então, vários fatores para que os judeus pudessem lutar pelas suas vidas, pois o decreto assinado pelo selo do rei não poderia ser desfeito, mas o rei deu ordem a Mordecai para que se fizesse um novo decreto permitindo que os judeus se reunissem e lutassem pelas suas vidas. Assim foi feito, e todos os inimigos dos Judeus foram mortos.

Com toda essa situação e história da vida de Ester, podemos ver sua atitude de coragem ao decidir pedir em nome de seu povo, ao ir á presença do rei, mesmo sendo contra as leis de seu povo… Vemos Deus usar a vida de Ester, e é isso que Ele faz quando estamos perto dele, seu Espírito nos alcança e nos ilumina, nos usa quando menos esperamos. Deus faz coisas surpreendentes quando menos esperamos. Quando estamos ocupados em seu Reino, Ele está ocupado conosco, sondando os nossos corações e nos instruindo. Ester não esperava ser rainha, tão pouco esperou que isso lhe custasse tanta responsabilidade, mas foi colocada ali, como serva do Senhor para interceder e salvar o seu povo, para por em prática as qualidades que Deus a concedeu e fazer-se de um grande exemplo de jovem para todos nós.

Texto de Sara Natália

Quer ser abençoado através desta mensagem? Ouça a seguir, faça seu comentário e compartilhe!

avatar
  Inscreva-se  
Notificar a